top of page
Search
  • coleccionismoconte

Liames, de Cristhina Bastos e Kyria Oliveira no Centro Cultural UFMG, Brasil.

A exposição LIAMES chega a Belo Horizonte. O Centro Cultural UFMG convida para a abertura da exposição ‘Liames’, das artistas Cristhina Bastos e Kyria Oliveira, membros da rede de artistas do Coleccionismo Contemporáneo, na sexta-feira, dia 17 de março de 2023, às 19 horas.



A mostra reúne objetos e instalações que remetem às questões do tempo, seja o tempo passado, o tempo presente ou o tempo vindouro.


A exposição Liames apresenta uma série de trabalhos de Cristhina Bastos e Kyria Oliveira, em um encontro entre suas pesquisas poéticas. Adaptando-se aos locais para onde se deslocam, as artistas trazem para a presente exposição, trabalhos produzidos entre 2018 e 2023, que surgem em pleno processo de acontecimento.


Motivada por um movimento de resgate, o trabalho de Kyria Oliveira assume as formas do passado desenhadas pelo tempo em seu ateliê. É com precisão que examina a paisagem escrita naquelas paredes e recupera uma passagem inscrita no presente: as formas observadas se transformam em padrões de uma história que a artista quer contar, garantindo que a fragilidade da memória não a corrompa. Por outro lado, também revela um pouco do universo particular que a rodeia, escrevendo uma narrativa contida em outra.



Cristhina Bastos propõe construir casulos, cujas tramas ora protejam e guardam, ora irrompem no espaço pela fluidez de sua tessitura. Podem evocar a artesania dos processos manuais, lentos e insistentes da forma, mas também chamam à fragilidade da pele, em suas delicadas constituições. Contendo a força e a instabilidade de poderem se desfazer com um simples gesto decisivo, os casulos projetam-se para o futuro: contêm e são contidos pelos fragmentos de suas transformações.


Das maquetes às obras em suas escalas finais ou provisórias, Liames procura o caminho que se encontra na poética do outro, o que nos liga às questões do mundo e à constante resiliência humana. A exposição permite aproximar os casulos-escritas de suas artistas ao público e convida à observação de uma materialidade fugaz por meio de suas histórias, sombras e sobreposições sempre em mutação, nos comenta Clara Sampaio, Artista e curadora independente.



Sobre Cristhina bastos

Brasileira, natural da cidade do Rio de Janeiro, onde se formou em Pintura pela Escola de Belas Artes EBA-UFRJ e em Arquitetura e Urbanismo e pedagógica em História. Já participou de exposições e Bienais no Brasil, Moçambique, Espanha, Argentina, Portugal e Finlândia. Hoje mora e trabalha em Vitória, no Espírito Santo, Brasil. A curiosidade e experimentação sempre a levaram a transitar por várias linguagens artísticas, como a fotografia performática, a pintura digital, o vídeo performático, as instalações interativas, os objetos relicários e a escultura tramada. Por anos trabalhou no serviço público com obras, mas o desejo de se dedicar somente a produção artística, acalentado por anos, só se tornou realidade, após um casamento, duas filhas, um câncer de intestino, uma aposentadoria precoce, um ano reaprendendo a andar, um divórcio e a mudança de cidade, sempre um novo recomeçar e se reinventar, creio que sintetizam o que ela é.





Sobre Kyria Oliveira

Artista graduada pela Universidade Federal do Espírito Santo, sua pesquisa investiga a cartografia do tempo através das marcas de antigas paredes. Em seu trabalho, luz e sombra, cheio e vazio, trazem a tona narrativas esquecidas ou filtradas pelas camadas do esquecimento.

Seu trabalho foi premiado na XI Bienal de Florença, Itália, em 2017, com o "Premio Lorenzo il Magnifico"; em 2019 recebeu Menção Honrosa na IV Bienal de Arte de Valencia Ciudat Vella Oberta, Valencia, Espanha. Como parte da mesma série, a artista também recebeu o Prêmio Aquisição, em 2020, na XXI Bienal Internacional de Arte de Cerveira, em Vila Nova de Cerveira, Portugal.






As obras poderão ser vistas até o dia 24 de abril de 2023. A entrada é gratuita, com classificação livre.

Comments


bottom of page